4-3-3
 DESORGANIZADA AVACOELHADA
 FÓRUM DA AVACOELHADA AMÉRICA MG
 ADMINISTRAÇÃO ESPORTIVA
 4-3-3
  Registrar   Ajuda   Login

Tópico AnteriorTópico Anterior - Próximo TópicoPróximo Tópico
Tópico com 3855 visitas e 4 mensagens
Autor
Tópico: 4-3-3
Marco Antônio
Usuário Nivel 5

Postagens: 40766
Registro: 06/05/2002
Local: Belo Horizonte - MG - BrasilSexo Masculino
 Postado em 14/12/2006 3:47:00 PM

Técnico Van Gaal defende uso do 4-3-3

Holandês acha que o esquema é o que melhor consegue ocupar o gramado e criar linhas defensivas definidas

Hans Siender e Paul van Veen*


No futebol atual, são poucas as equipes que utilizam o esquema tático 4-3-3 (muito comum até a década de 80). O sistema caiu em desuso sobretudo pelo desaparecimento dos pontas, que perderam espaço no esporte moderno em detrimento de meio-campistas com maior poder de marcação. Entretanto, ainda há defensores ferrenhos da formação com três homens no ataque. Um deles é o holandês Louis van Gaal, que a utilizou em praticamente todos os clubes em que trabalhou.

A explicação do treinador para gostar tanto do 4-3-3 é a possibilidade de preencher os espaços do campo: “Essa é, na minha percepção, uma formação ótima. Você tem uma presença muito forte no ataque e sempre existe a possibilidade de pressionar a saída de bola do seu adversário”.

Outro conceito que leva Van Gaal a gostar tanto do 4-3-3 é o fato de esse esquema diminuir os espaços entre os jogadores. “Quando você joga colado no adversário, leva muito tempo para se movimentar em uma simples troca de passes e tem dificuldade na marcação. Quando joga próximo do seu companheiro, reduz a possibilidade de o seu rival conseguir pensar. Devido às muitas linhas, as distâncias individuais nunca são maiores que cinco ou dez metros e isso facilita a cobertura”, ponderou o treinador.

A aproximação citada por Van Gaal acontece de acordo com a quantidade de linhas defensivas que a equipe consegue formar. No 4-3-3, existe a possibilidade de os jogadores atacarem a bola em muitos momentos diferentes e aumentarem as chances de recuperar a posse.

“A coisa mais bonita sobre minha escolha do sistema é que cria várias linhas. Quando você joga num 4-4-2, você tem uma linha de quatro jogadores no meio-campo e não consegue atacar a bola em mais do que três ou quatro momentos. No 4-3-3 é possível começar a marcação com o centroavante, passar pelos dois atacantes, pelo meia, pelos volantes e pela defesa. São seis linhas de ataque à bola. Portanto, do ponto de vista matemático, sua chance de dominar o jogo é maior”, concluiu o técnico holandês.

O 4-3-3 ainda permite uma variação muito grande de acordo com a formação tática do meio-campo. Van Gaal prefere montar suas equipes com dois volantes e apenas um meia de criação, mas há treinadores que usam o contrário (o Barcelona do também holandês Frank Rijkaard, por exemplo).

“Você pode decidir se joga com um triângulo no meio-campo apontando para o ataque ou para a defesa. Muitos times hoje optam por jogar com o triângulo apontado para a defesa, mas eu prefiro que seja para o ataque. A presença de um meia encostado nos atacantes deixa o centroavante menos isolado. Quando o triângulo aponta para a defesa e você tem dois meias, precisa de mais movimentação e mais mobilidade”, avaliou Van Gaal.

O Barcelona usa o que Van Gaal classifica como “um triângulo apontado para trás” (um volante e dois jogadores com mais saída de bola, que normalmente são Deco e Iniesta ou Xavi). Segundo o treinador holandês, a grande virtude da equipe espanhola é impedir que seus oponentes consigam girar a partida de um lado ao outro do campo.

“Eles pressionam no lado onde a bola está com vários jogadores e deixam o outro lado vazio. Se você faz pressão corretamente, o adversário nunca vai inverter a jogada. Contudo, isto só é possível quando você tem boa posse do campo. Mais linhas facilitam para envolver o adversário e pressionar”, justificou Van Gaal.

Fã convicto do 4-3-3 e do uso de pontas, Van Gaal admitiu, porém, que o esquema não é extremamente imutável em uma equipe. O holandês confessou que a utilização da formação com três homens na frente depende das características dos atletas: “As qualidades de seus jogadores devem ser utilizadas ao máximo. Não adianta o sistema ser bom e não se adequar ao que você tem nas mãos”.


* Tradução: Estevão Bertoldi Sanches





IP LogadoPróxima Mensagem
Marco Antônio
Usuário Nivel 5

Postagens: 40766
Registro: 06/05/2002
Local: Belo Horizonte - MG - BrasilSexo Masculino
 Postado em 11/02/2007 11:50:00 AM

Alguns times da Europa, como a Seleção de Portugal, o Barcelona e o Manchester United (líder na Inglaterra), jogam hoje com três no meio-campo (dois volantes e um meia) e três atacantes (dois pelos lados e um pelo centro). Essa não é a única boa opção, mas o Brasil tem também jogadores com características para atuar mais pelos lados, como Ronaldinho Gaúcho, Kaká, Robinho e Daniel Carvalho.

É preciso diferenciar os atacantes que atuam pelos lados dos pontas atuais da Holanda e dos antigos pontas estáticos, que atuavam somente encostados à lateral do campo. Os “pontas” de Portugal atuam também pelo meio, trocam de posição, passam, finalizam e ainda marcam o lateral. Por isso, Maicon e Gilberto tiveram poucas chances para avançar.

Com qualquer esquema tático, e mesmo se Kaká, Ronaldinho Gaúcho, Robinho e outros jogadores estiverem muito bem, o Brasil vai ter dificuldade nos próximos anos, pela falta de um grande craque artilheiro, como foram Romário e Ronaldo. Existem hoje bons atacantes, mas nenhum chega próximo dos dois.


IP LogadoMensagem AnteriorPróxima Mensagem
Newton Amaro
Usuário Nivel 4

Postagens: 607
Registro: 15/05/2002
Local: Belo Horizonte - MG - BrasilSexo Masculino
 Postado em 13/02/2007 12:04:00 AM


Eu sou mais um que defende o 4-3-3 e da mesma forma que o Rijkaard. Principalmente quando o jogo é em casa, precisando fazer o resultado.

Nesta formação, além de vc já amarrar a saída de bola no campo do adversário, vc acaba confundindo o oponente e quebrando o esquema tático dos adversários. Naturalmente se empurra o adversário pra trás. É relamente um time mais ofensivo e mais defensivo.

E na defesa, jogarão quatro zagueiros (2 laterais) contra dois atacantes. Por isto um só cabeça de área ( o triângulo invertido) é o suficiente, só pra ligar a defesa com os dois armadores.

Se eu tivesse um time com jogadores de qualidade, não hesitaria em usar este esquema.

IP LogadoMensagem AnteriorPróxima Mensagem
Marco Antônio
Usuário Nivel 5

Postagens: 40766
Registro: 06/05/2002
Local: Belo Horizonte - MG - BrasilSexo Masculino
 Postado em 02/04/2008 9:42:00 AM

Eugenio Goussinsky
eugenio@cidadedofutebol.com.br




Três atacantes são novidade só no Brasil



O técnico Cuca, do Botafogo-RJ, é um dos poucos no Brasil a compreender que o sistema 4-3-3 não necessariamente é arcaico. Contra o Fluminense ele utilizou três atacantes, observando, após a partida, que não fez isso apenas porque enfrentava um rival que não atuava com seus titulares. O time de Cuca venceu por 3 a 1 e o treinador garantiu que utilizará esse esquema sempre que necessário. Sem dogmas.


A Eurocopa de 2008, por exemplo, promete ter no 4-3-3 uma espécie de “revival” das melhores épocas do futebol brasileiro. E justamente no Brasil tal sistema está sendo colocado como “coisa de ingênuo”.

Holanda, Portugal, Itália e Espanha, utilizam como base um tripé de atacantes. Na Holanda isso se tornou marca. Desta vez a equipe laranja deverá iniciar seus jogos com um poderio ofensivo invejável, formado por Van Persie, Van Nistelrooy e Robben. Os volantes que se virem para recuar e marcá-los.


A Itália, que muitas vezes foi injustamente estigmatizada por atuar apenas com o “catennaccio”, sua retranca famosa, também tem como expediente a utilização de três atacantes, no caso Di Natali, Inzaghi e Toni.


Portugal, do antes retranqueiro Felipão, não fica para trás. Com Cristiano Ronaldo, Postiga e Hugo Almeida na frente, pode dar o que falar. O mesmo vale para a Espanha, que desde o Mundial de 2006 vem ousando com seu trio ofensivo, formado por Raúl, Fernando Torres e David Villa.


Enquanto isso, aqui nos campeonatos regionais, alguns técnicos e jornalistas consideram um atentado à razão a utilização de esquema “tão ousado.” Como se tudo na história tivesse como núcleo o nosso país tropical, desde o Iluminismo no pensamento até o Impressionismo nas artes, passando pelo Renascimento, pelo Realismo e pelo Romantismo.


Essa gama de opções, que deveria pautar o futebol, chegou aqui, tempos depois da Europa.


No caso do futebol, ocorre o contrário. Embelezamos o jogo com intuição e ousadia para oferecermos nossos segredos táticos àqueles que nos invejavam. E depois, caímos no conto do vigário, abrindo mão desses esquemas em função deles, que se diziam defensivistas. E por não sairmos desse aprisionamento mental, mantendo - com raras exceções como Cuca - sempre enraizados dogmas preconceituosos, o futebol brasileiro, tão criativo, permanece na Idade Média em termos de idéias.



IP LogadoMensagem Anterior
 Todos os horários são de Brasília (GMT -03:00)
 Nova Mensagem desde a sua Última Visita.
[***] Palavra proibida pelo moderador do Grupo de Discussão

Tópico AnteriorTópico Anterior - Próximo TópicoPróximo Tópico

Volta para o Topo da Página



Forum Now! - Criar seu forum grátis