Santuário de Athena - o prólogo do inferno.
 ¤Athena Saints Forum¤
 ¤Athena Saints, The Return¤
 [On] Coliseu
 Santuário de Athena - o prólogo do inferno.
  Registrar   Ajuda   Login

Tópico AnteriorTópico Anterior - Próximo TópicoPróximo Tópico
Tópico com 332 visitas e 7 mensagens
Autor
Tópico: Santuário de Athena - o prólogo do inferno.
Dragão Negro¤AS¤
Pato de Circo ;__;

Postagens: 128
Registro: 29/01/2006
Local: Jacarépaguá - RJ - BrasilSexo Masculino
 Postado em 02/03/2006 11:10:00 AM

*Ação*

"Pensamentos"

-Falas-


*Hades um Deus inescruspulo, repleto de desejos e ambições planejava seu ultima e imortal confronto com Athena. Seu exercito invadira o Santuário ocasionando uma estupenda catastrofe. A vida de todos os santos daquele recinto foram embora em pról da virtude da sagrada Deusa. O santuário caracterizava naquele momento um horrendo mar de destruição e carnificina humana espalhada por todos os cantos, para saciar esse desejo, Hades impos a morte a vida de todos seus espectros. Chegava o verdadeiro momento crucial. Este Deus banhado de egocentrismo planejava matar Athena pessoalmente, em confiança de que seus espectros havia exterminado todos os santos de Athena. A maldição se reverberava sobre aquele lugar, a escuridão tomava conta do ebano céu celeste, enquanto Hades caminhava pessoalmente em direção ao salão do mestre, acompanhado de sua representante divina, o chão escurecia e as pedras ao redor se rachavam, trovões golpeavam o solo na mais alta furia, aquele maldito lugar dava calafrios, o solo divino de Athena estava se transformando em territorio de Hades, o destino estava prestes a acabar com a terra, pudera o mundo todo ser dominado pela tirania de um só homem? O mar se tornava negro como a escuridão infinita, flores murchavam pelo ar desagradável que aquele Deus trazia a terra. sobre a imenssidão do salão ao lado da Deusa estava um cavaleiro negro, aparentemente unico sobrevivente deste terrivel massacre, o mesmo estava disposto a defender sua Deusa a partir de seus desejos. mesmo que tanto fiel a sua Deusa, preocupava-se consigo mesmo ao deliberar-se na propria ambição, ali, esperava a chegada do Deus das trevas. Aquele destino seria o destino da terra.*







-Athena, falta pouco para Hades chegar até aqui, sei que sozinho seria impossível defende-la, então lhe peço que me de forças para derrotar Hades com seu cosmo sagrado...-



[Athena]de qualquer forma não sera um tarefa tão fácil derrotar hades...Hades é um Deus muito poderoso...








-Entendo mais...Talvez ele não saiba que estou aqui...terei que alcançar algo que os cavaleiros chamam de setimo sentido...mais é a nossa ultima esperança de vencer esse Deus...-









"HAHAHA....se eu derrotar Hades sozinho me tornarei um Deus!! Essa é a chance de mostrar a todos o verdadeiro poder do Dragão das trevas."




*Duas ambições ao negror da virtude iriam se chocar, o momento parecia chegar, sob aquele escuridão profunda, começava chover, águas caiam de um um céu negro, alguem parecia estar vindo, passos eram ouvidos, seria hades chegando? o momento era de desconfiança e apreenssão...*







IP LogadoPróxima Mensagem
±Vaka±Shura±AS±
Pato de Circo ;__;

Postagens: 57
Registro: 03/02/2006
Local: - - Brasil
Idade: 26 anosSexo Masculino
 Postado em 04/03/2006 11:56:00 AM

±Narração±
-Falas
"Pensamentos"
[Off]

[Considerar Imagens da maneira descrita nas narrações]

"O que estou fazendo por aqui? O que está por vir? Ártemis mandou-me para proteger Athena contra Hades. Qual Deus está do lado certo? Estaria Ártemis indo contra os Deuses? Estaria eu, Odysseus, indo contra os Deuses?"

±Os Passos ouvidos pelo Dragão Negro não eram do Deus das Trevas, e sim de Odysseus que se aproximou lentamente do Cavaleiro Negro após em passos lentos e curtos, trajando sua armadura de Anjo Celestial ter saído dentre pedaços de pilastras que ainda não foram completamente destruídas. A expressão dele, como sempre, séria e objetiva, apesar de que segundos atrás o Anjo Celestial estava em dúvida sobre o que e porque estava ali, se aliando a um humano para defender outros humanos.±

"Eu sou Odysseus, eu sou um Anjo Celestial, não devo questionar sobre as ordens dadas à mim, apenas cumpri-las, esse é meu dever e objetivo de vida."

±Odysseus olha para o Dragão Negro demonstrando um certo nojo do mesmo graças à sua raça, porém aparentava não estar muito preocupado com a presença do mesmo ali. ±
"Por que ele está aqui se sabe que não tem chances alguma contra aquilo... aquele que está por vir?"

-Dragão Negro, não entendo o motivo que o trás aqui, mas se for preciso, não hesitarei em matá-lo, humano.

±Odysseus desvia o olhar para baixo, estava decidido a ficar ali, não por Athena, jamais por Athena... Odysseus só estava disposto a perder a vida se necessário, pelas ordens que recebeu de Ártemis. Não acreditava ter algum outro objetivo, a não ser luta, lutar, e lutar pelos ideais de sua Deusa, até o dia de sua morte.±

-Seja lá o que está por vir, estou pronto para cumprir meu objetivo, Ártemis.

[Malz pelo turno caso ele esteja "fraco", meu pai ficou apressando pra mim sair ai fiz o mais rápido que pude para não atrasar o jogo.
Assim que arrumar um separador e box eu edito o turno e os coloco, acho que faço isso ainda hoje. ]





IP LogadoMensagem AnteriorPróxima Mensagem
Pandora
Pato de Circo ;__;

Postagens: 15
Registro: 01/02/2006
Local: - SP - BrasilSexo Feminino
 Postado em 04/03/2006 3:33:00 PM

Fala


Narração


Pensamentos





Não era uma batalha fácil, nunca fora. Lutar pelos ideais de um mundo em que poucos podiam viver, e que poucos eram compreendidos seria sem dúvida um trabalho árduo e intenso. E assim fora. Lutas travadas na terra, nos portais do inferno e até mesmo, em seu mais sujo e incrédulo interior. Mas por fim, os santos da esperança haviam tombado; E mesmo levando consigo alguns dos mais importantes seres do submundo, não estariam mais lá para impor-se a um novo reinado que logo eclodiria na Terra. O fim era já previsto: Hades iria reinar novamente, lavando sua honra em sangue puro e divido; O sangue de Athena. O que faltava para que isso acontecesse? Apenas o fato mais triste e lacerante; Que a cabeça da jovem deusa rolasse em seus pés. Não seria difícil. Apesar de sua alma reencarnada, Athena ainda não passava de uma simples humana, uma criança desprotegida e agora, sem seus maiores aliados. E agora tudo o que restava eram nada mais que cinzas de uma era de paz forjada, de deuses fictícios, de forças inescrupulosas. Hades findaria tudo e com suas forças faria da terra uma morada olímpica livre das desgraças humanas, livre de toda aquela sujeira. Mas, enfim, deveria findar a ultima gota que sangue que sujava sua roupa; Precisava matar Athena. O plano já estava em andamento. As novas ações já estavam tramadas, reescritas para que tudo ocorresse na mais plausível ordem, terminando por fim num novo início. Hades já reencarnara, seu corpo era agora real, tocável, visível... E sua alma era pura; Ao menos aos olhos daquela mulher. Pandora, submissa aos comandos do deus, atraente aos olhos mortais, incrédula aos atos humanos e desavisados. Uma jovem que em breve gozaria dos poderes divinos, da aliança feita entre seu coração e de sua majestade.






Então, é agora que vamos ao encontro do destino, da retomada de um poder que já era pertencente a uma única divindade; Meu senhor, Hades...





Pensamentos que labutavam em sua mente, que surgiam do âmago e imploravam para serem expelidos, mas, resguardados pelo respeito àquela presença. Pandora ainda era quieta, mesmo sofrendo de certa excitação gerada pelo fim daquela batalha; um fim que já parecia estar nas mãos certas, nas linhas negras de uma história reescrita em tinta vermelha; em vitae humano. Sim, o ébano que ressurgia num céu antes azul celeste mostrava que algo entrava em ascensão. O calor que se espraiava aos solos danificando de todas as vidas era quase infernal. O cheiro não era mais o doce das rosas, e sim o amargo da morte. Os passos eram ressoados no silêncio cadavérico que havia nascido naquele santuário. A presença poderia ser sentida ao longe. Tudo indicava um fato atordoante: Hades levantava-se de sua ‘tumba’, voltando ao mundo dos vivos em contradição às ordens naturais. E juntamente a ele, sua fiel representante: Pandora. Sua subida seria rápida. Passos dados nos degraus antes brancos de mármores, agora vermelhos de vidas acabadas. As casas do zodíaco. Pandora seguia-o silenciosamente logo atrás; O respeito de jamais se impor à frente de um deus e de sua estrondosa magnificência.






Espero que esteja pronta para seu fim, jovem Athena...





Pudera pensar muito mais, mas nada que fosse mais extasiante que a idéia de que, em poucos momentos, estariam desfrutando da ultima morte e talvez, mais cobiçada: a morte de toda a pureza e futilidade de Athena e de seu reinado sobre a Terra. Nem mesmo deu-se ao trabalho de se preocupar com pressentimentos ruins, com novos cosmos. Não deveriam passar de cosmos que ainda não haviam se apagado no calor da batalha, mas, naquele momento, no ápice dos poderes do submundo, nem mesmo outra divindade o pararia; Nada, absolutamente nada fariam com que ambos se afastassem da décima terceira casa e do final triunfal do novo bem, sobre aquele mal.





IP LogadoMensagem AnteriorPróxima Mensagem
Dragão Negro¤AS¤
Pato de Circo ;__;

Postagens: 128
Registro: 29/01/2006
Local: Jacarépaguá - RJ - BrasilSexo Masculino
 Postado em 06/03/2006 6:24:00 PM

*Ação*


"Pensamentos"


-Falas-




*O Santuário deslumbrava-se na perdição, amargava o escuro demagogo em seu coração, sua tara fraqueza era sucumbida pelo poder das trevas. O momento de tensão continuara, cada passo realizado por este ser, pretenciava a batida mais forte do coração, e logo o mistério acabava por si, a tona. O cavaleiro negro parecia não acreditar em seu dom visual , fitava a sua frente um reles mortal, seria esse hades? Com uma aparencia tão inofensiva pelo que se podia contemplar naquele momento, Dragão negro houvira suas palavras a respeito de si, proferidas por Odisseus. O mesmo seguia-se ao seu silencio junto de Athena sem demonstrar um receio a este ser.*









"Droga...não permitirei que um miserável do Olimpo arruine meus planos...."





*O tom incessante daquele maldito ser, pareia desestruturar os planos do Dragão das trevas, seu orgulho obseno a favor de sua deusa poderia joga-lo a perdião suposta por um gênio.**




-Matar? Você disse que ira me matar?-









-HAHAHAHAHAHAHAHA!!!-









-Você não está esquecendo de algo?....Dês dos tempos mitológicos Athena carrega a Vicky em suas mãos, caso não saiba a Vicky representa a vitória, se Athena está com a Vicky é impossível que seja derrotada....Por isso Athena jamais foi derrotada...Crêio que você ja deve ter entendido ....Já que Athena esta com o baculo em mão....Eu tenho a VITÓRIA!.-



[Athena]Dragão Negro não lute contra Odysseus, ele veio para ajudar....








"Athena tem razão....não posso gastar minhas forças lutando contra esse verme, ele parece ser um aliado formidável, devo mante-lo ao meu lado, assim será mais fácil derrotar Hades....Depois de derrotar Hades me livrarei dele."





*O raio atingia o teto daquele lugar, desvendando a sombra do cavaleiro negro sobre a parede. O momento da desgraça se aproximava, cada segundo era importante, o futuro da terra estava nas mãos do Dragão das trevas. Um cosmo fenomenal preenchido de miséria e desgraça, acompanhado pela desgraça se aproximava, Athena queimava seu cosmo sagrado. Uma verdadeira película cosmica reverberante, emanava nas mão daquele cavaleiro, colocava o escudo a sua frente e posicionava-se para a batalha final, seu coração queimava as auras de um verdadeiro Dragão das trevas.*



IP LogadoMensagem AnteriorPróxima Mensagem
±Vaka±Shura±AS±
Pato de Circo ;__;

Postagens: 57
Registro: 03/02/2006
Local: - - Brasil
Idade: 26 anosSexo Masculino
 Postado em 12/03/2006 12:43:00 PM

±Narração±
-Falas
"Pensamentos"
[Off]

-Athena, você, Vicky, vitória...
Isso tudo não importa, Dragão Negro.
Você é um humano, um humano sempre será um humano não importa o que faça. E um humano como você, Dragão Negro, jamais derrotaria um Anjo, jamais derrotaria Odysseus, então, tome cuidado com suas ações, ou pode ser a última.



±Odysseus olha para o Dragão Negro com arrogância, se mostrando muito sério no que disse, e disposto a matar o Cavaleiro Negro se o mesmo desafiasse a força do Anjo Celestial. Após isso, Odysseus curva seu corpo um pouco para a direita, ficando de frente para a direção que aquele tremendo cosmos se aproximava.±

"Seja lá quem for, seja lá o que for que esta vindo, não está sozinho, sinto duas presenças, a mais forte deve ser...
Não posso contar com esse humano, ele aparenta não ter forças para enfrentar aquilo que está por vir, ou posso estar errado?"



±Odysseus fecha os olhos, então os abre olhando de canto para o Dragão Negro que parecia estar incomodado com a presença do Anjo, então volta seu olhar para frente, observando o local destruído, que pelo jeito irá sofrer mais destruições quando aquele tremendo cosmos enfim chegar.±

"Não, eu sou um Anjo, engano, erro, são palavras humanas, não existem essas palavras para Odysseus.
Vamos deixar as coisas continuarem do jeito que estão, então verei o que faço com esse humano."






IP LogadoMensagem AnteriorPróxima Mensagem
Hades ¤AS¤
Pato de Circo ;__;

Postagens: 27
Registro: 05/02/2006
Local: Porto Alegre - RS - Brasil
Idade: 29 anosSexo Feminino
 Postado em 16/03/2006 5:06:00 PM







Por tempos em que se perdem nos registros da História, aquelas duas Divindades – Hades e Athena – estiveram a batalhar pela posse da Terra. Hades, que desde os primórdios das Eras detinha o poder do Submundo, sempre cultivara em seu âmago o desejo de apoderar-se da superfície e livrá-la daquelas existências inferiores. Contudo, Athena sempre estivera a frustrar os planos do Deus e, a isso, seguia-se um longo período de paz sobre a terra. Período este em que o Imperador das Profundezas mantinha-se sob o selo da Deusa da Justiça.




“Falta pouco para que tenhamos o poder sobre Superfície...”




Uma vez mais, o Deus do Submundo libertava-se do selo que o lacrava, juntamente as 108 Estrelas Celestes. Seguindo a isso, uma nova batalha contra aquela que detinha o poder sobre a Terra se iniciara. Mas diferentemente das Guerras Santas anteriores, as hordas de Hades dizimaram aqueles que deviam proteger a vida de Athena. O Santuário Atheniense, antes nutrido com a divindade de Athena, era agora apoderado pela carnificina resultante dos embates entre Espectros e Cavaleiros.




- Logo nos livraremos definitivamente da última barreira que nos impede de Imperar sobre a terra...




A voz do Lord das Trevas cortava o frio ar que pairava no Santuário de Athena enquanto pronunciava suas palavras àquela que o acompanhava. A vitória, ainda que favorável a Hades, não era de todo completa. Havia ainda um obstáculo que o fizera deixar seu reino de Trevas e dirigir-se ao local onde a Deusa da Sabedoria permanecia. Um pouco mais à frente de Pandora, o Deus das Profundezas seguia seu caminho sobre as escadarias de mármore até a Décima Terceira Morada. O solo daquele local manchara-se de sangue; os céus, antes de um claro azul, tingiram-se de negro. A paisagem sagrada do Santuário tornara-se pútrida e cadavérica... um anexo às trevas do Submundo.




- A resistência humana é realmente impressionante...




Novamente, as palavras do Deus ecoavam pelo ambiente em um tom frio e com um leve toque de ironia, ao que poderia sentir as presenças que se mantinham em frente ao local de seu destino. Ainda assim, o semblante de Hades permanecia indiferente e superior àquilo e, à medida que se aproximava da última Casa juntamente com Pandora, sua soberania e majestade poderiam ser percebidas com maior nitidez por aqueles que se postavam a defender Athena.






(( Off )) Bem, people... sorry a demora e o turno fraco, mas próximos tentem a melhorar ^.^
Turno sem screens porque depois que formatei o pc, ainda não consegui recuperar as screens que tinha... =/



IP LogadoMensagem AnteriorPróxima Mensagem
Pandora
Pato de Circo ;__;

Postagens: 15
Registro: 01/02/2006
Local: - SP - BrasilSexo Feminino
 Postado em 26/03/2006 4:16:00 PM

Fala


Narração


Pensamento





Não. Não haveria talvez quem compreendesse a excitação que pulsava vigorosa em seu peito. O frenesi que surgia do âmago e expelia-se em seu respirar. O fim estava próximo. Almejado fim... A cada novo degrau vencido, o cheiro tornava-se mais forte, quase insuportável. Afinal, cheiro de quê? Nada mais que o cheiro da vitória. Sim, o aroma quase inebriante de um sentimento tão carnal; Ou na mais simples fala: a fome que consome toda uma alma, que dá inicio a uma guerra, finda vidas, destrói sonhos, aniquila amigos e por fim, conquista sua “vitória”, mesmo estando à beira de um penhasco chamado culpa. Mas já não era hora de pensar sobre o que ocorrera, e sim no que haveria de ocorrer. Estavam agora tão próximos à morada da deusa desde seus primórdios. Tão próximos...






Por quê? Por quê sinto essa pequena interrogação? Será alguma punição por troca de minha insolência? Mas... Nada fiz, se não tolerar pacientemente todas as ordens de meus senhores. Então, o que é isso? O quê?





Pandora sentira algo se mover não tão longe. Nada que de fato a preocupava, mas, uma pequena questão que pungia levianamente seu peito. Mas não haveria tempo para recuar. Não... Estavam agora nas portas de acesso à décima terceira casa e não haveria um retorno. Mas, o que temer? Provavelmente os santos não estariam ali. Pégasu já tivera sua ultima centelha deteriorada por qualquer espectro já vencido; E com certeza, se fora para jamais voltar. Todos os guerreiros dourados já deviam estar rumo a uma prisão, naquele momento. Fins lamentáveis para homens que cumpriram cada um de seus juramentos com tanta garra. Mas então, o que parecia reverberar-se naquele salão? O que estava à recepção do novo futuro governante da Terra? Um cosmo sacro tornava-se ‘visível’ em seu caminho, acompanhado de outra força. Tão diferentes em seus calores como, o preto e o branco. Entre eles, o calor ameno do cosmo divino de Athena. Mas não iria preocupar-se. Se Hades seguia seu caminho com tanta veemência, por quê sua representante deveria acuar-se como um rato medroso? Não. Silenciara sua mente, mantendo o caminhar firme e rígido. Em poucos passos mais, já poderiam passar da marquise de entrada do grandioso salão de Athena. Sim, deparar-se-iam finalmente com os guerreiros que lhes aguardavam ansiosamente. O cosmo latente da jovem Senhora das Trevas fazia contraste com a exacerbada energia do Deus dos mortos. Seria paciente. Avançar sem prevenções seria tolice. Mesmo porque, Hades cuidaria só de qualquer inimigo.






Se até mesmo Athena e seus mais fiéis cavaleiros tombaram, irremediavelmente, quem seria detentor de tal força para manter-se firme no caminho de meu senhor?





IP LogadoMensagem Anterior
 Todos os horários são de Brasília (GMT -03:00)
 Nova Mensagem desde a sua Última Visita.
[***] Palavra proibida pelo moderador do Grupo de Discussão

Tópico AnteriorTópico Anterior - Próximo TópicoPróximo Tópico

Volta para o Topo da Página



Forum Now! - Criar seu forum grátis